11/10/18 | 14:24
Banco Comunitário Mauá completa três anos de funcionamento

O Banco Comunitário Mauá, organizado pela Associação Beneficente Social Violeta, com o apoio da Secretaria Municipal do Trabalho, Emprego e Desenvolvimento (Semtrad), comemorou três anos de funcionamento com uma apresentação da trajetória da entidade para moradores da comunidade do Mauazinho.

O projeto que faz parte do Programa de Economia Solidária e Criativa da Semtrad, nasceu no bairro Mauazinho e tem como objetivo fortalecer a política de inclusão social por meio de bancos comunitários, permitindo melhorar a vida das pessoas em relação à dificuldade de acesso ao sistema financeiro convencional.

Completando três anos neste mês de outubro, o banco já recebeu o selo de Tecnologia Social por meio do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, criado em 2001 e considerado a principal ferramenta de certificação de tecnologias sociais que constituem o Banco de Tecnologias Sociais.

Para o diretor do departamento de Economia Solidária da Semtrad, Virgílio Melo, o banco é um esforço contínuo da Prefeitura em levar melhorias à comunidade do Mauazinho e adjacências. “Hoje o banco é uma realidade que faz parte do dia-a-dia dessas pessoas. Elas não precisam mais se deslocar para outras localidades a procura de serviços básicos que antes não existiam por aqui”, disse Melo.

Sidemar Rodrigues, presidente da Associação Beneficente Social Violeta, que é proponente do banco, falou sobre a junção entre as entidades. “Foi o estabelecimento de uma parceria bastante produtiva entre a Semtrad e a Social Violeta. Nós começamos de baixo, atendendo cerca de 15 pessoas por dia e hoje temos pelo menos 200 pessoas utilizando nossos serviços diariamente. É um crescimento muito significativo e resultado do nosso trabalho em conjunto”, declarou.

Elivaldo Silva, morador do bairro, utiliza o banco e fala da importância dos serviços oferecidos pelo banco. “Esse banco já faz parte do nosso cotidiano e é essencial que ele continue por aqui. Temos uma boa estrutura e não precisamos ir, por exemplo, até o Centro da cidade para procurar algum serviço, quase todos são feitos aqui mesmo”, diz ele.